Em noite eclética, penútima noite do Gravatá Jazz Festival 2018 traz mistura cultural

0
380

 

Foto: SECOM/Gravatá

 

Mais Agreste, com SECOM

 

A terceira e penúltima noite do Gravatá Jazz Festival 2018, realizada nesta segunda (12), foi aberta com o renomado grupo Quinteto Violado, que surpreendeu o público ao realizar uma releitura da Música Popular Brasileira (MPB), dando ênfase à cultura nordestina. A noite recebeu ainda a UpTown Blues Band, produzida pelo também baterista e diretor executivo do evento, Giovanni Papaleo, além de Flenks e Amaro Freitas (piano).

No repertório, Quinteto Violado abordou temas de Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Jackson do Pandeiro e Geraldo Vandré, entre outros ícones da MPB. A Uptown Band Blues, por sua vez, convidou grandes nomes do jazz e do blues internacional para participações especiais, a exemplos de Karl Dixon, cantor de jazz, blues e soul, que integra um dos mais renomados grupos vocais de Nova York, o Harlem Jubillees Singers; Duca Belintani, guitarrista, professor e produtor, que nos anos 80, integrou a banda Controle; e o guitarrista Lancaster.

Entre o show do Quinteto Violado e o da Uptown, a banda Flenks, formada por Cesinha (bateria), Fernando Nunes (baixo) e Fernando Caneca (guitarra), levantou os presentes com uma performance espetacular. Com 15 anos de carreira, o power trio possui dois álbuns em estúdio sendo o primeiro, “Flenks” (2000), indicado em cinco categorias do Grammy Latino (2001). O grupo convidou ainda o recifense Amaro Freitas, uma das principais revelações do jazz da nova geração no Brasil, para fazer uma participação especial.

Confira abaixo a programação desta terça, que marca a última noite do Gravatá Jazz Festival 2018:

Dia 13 de fevereiro

  • 20h – Divas do Jazz & Blues: Taryn Szpilman, Rhaissa Bittar & Bex Marshall. Participação especial de Fred Sunwalk
  • 21h – Allycats
  • 22h – Earl Thomas & JustGroove, com Igor Prado

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui