GRAVATÁ: Prédio inativo da UPA será transformado em moderno Centro Especializado de Saúde

0
240

 

O novo espaço contará com exames de endoscopia, ultrassonografia, mamografia, cardiologia, além de um centro de fisioterapia avançado

 

Foto: Anderson Souza / SECOM

 

Mais Agreste, com SECOM

 

A Unidade de Pronto Atendimento da cidade de Gravatá, no Agreste de Pernambuco, vai sediar um novo e moderno Centro Especializado de Saúde. Anunciada pela Secretaria de Saúde, nesta sexta (25), a ação vai ao encontro do decreto federal de Nº 9.380, de 22/05/2018, que dispõe, aos municípios, a possibilidade de transformar construções e prédios de UPA´s, sem funcionamento, em qualquer outro serviço destinado a saúde municipal.

O novo espaço irá oferecer à população atendimentos em diversas áreas, como exames de endoscopia, ultrassonografia, mamografia, cardiologia, além de um centro de fisioterapia avançado.

“É uma grande conquista! Aquele prédio parado é um verdadeiro desperdício, por isso, desde que assumi, há 15 meses, que brigo para poder reativar e fazer do espaço um lugar de referência, onde o serviço seja de qualidade e que nosso povo tenha aqui na cidade um lugar que irá oferecer mais saúde e cidadania para todos”, disse o prefeito Joaquim Neto

O Deputado Federal Bruno Araújo (PSDB) conseguiu destinar ao município, através de ementa parlamentar, a quantia de R$ 1,5 milhão e meio de reais, que será destinada à adaptação do prédio e a compra de materiais e equipamentos.

O projeto está em fase de elaboração e será apresentado ao Conselho Municipal de Saúde, à Comissão Intergestores Bipartite e ao Ministério da Saúde. Após aprovação e a viabilização do recurso de 1,5 milhão de reais, será dada o prosseguimento para a realização da obra.

 

Situação atual da UPA em Gravatá

No ano de 2012, o prédio da antiga SUCAM foi contemplado com recursos federais para a adaptação e instalação de uma UPA no município. Em 2013, a obra teve início e foi dada como concluída em 2014, mas nunca foram iniciados os atendimentos. Por falta de cuidados e utilidade, o prédio ficou abandonado e foi saqueado por vândalos e bandidos, tendo os equipamentos de ar condicionado e instalação de gás roubados.

“Iremos aproveitar pouca coisa, porque realmente o prédio foi depredado. Vamos ter que fazer toda a instalação novamente para recuperar o espaço que teve o recurso desviado, o que é um absurdo porque isso mexe com a saúde do nosso povo. Por isso uma das minhas primeiras atitudes foi procurar o Ministério da Saúde e mostrar a realidade, para lutar junto com a Confederação Nacional de Municípios (CNM) e o Tribunal de Contas da União (TCU), para que o povo tenha acesso a uma saúde pública cada vez melhor”, relatou Joaquim Neto.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui