NATAL: Médica rasga receita após idoso afirmar que votou em Haddad

0
461

 

Um boletim de ocorrência foi registrado na 7ª Delegacia regional, localizado na Zona Leste de Natal

 

Foto: Eduardo Rodrigues / Inter TV Cabugi

 

Mais Agreste

 

Uma médica foi acusada de rasgar uma receita médica após José Alves de Menezes, paciente de 72 anos, declarar apoio ao candidato petista, Fernando Haddad, no primeiro turno das eleições presidenciais. O caso aconteceu no Hospital Estadual Giselda Trigueiro, na manhã desta segunda (8), em Natal, no Rio Grande do Norte. Um boletim de ocorrência foi registrado na 7ª Delegacia regional, ainda na Zona Leste da capital.

De acordo com informações do portal G1, o aposentado contou que frequenta constantemente a unidade hospitalar para receber a receita de um medicamento que precisa tomar diariamente. Enquanto aguardava, a infectologista Tereza Dantas pediu para que ele esperasse, já que o conhecia e sabia qual a receita do remédio que ele precisava. Após chegar com a receita na mão, o idoso afirmou que a médica perguntou qual teria sido seu candidato à presidência da República. A vítima respondeu que tinha votado no candidato Fernando Haddad (PT) e, em seguida, ela disse que não ia mais dar a receita e rasgou.

Inicialmente, o paciente achou que a ação se tratava apenas de uma brincadeira e até sorriu, mas, ao perceber que era sério, sentiu- se ofendido e humilhado. O senhor procurou um diretor do hospital e conseguiu a receita com outro médico. Em seguida, José Alves prestou queixa na 7ª Delegacia de Natal.

Arrependimento da médica

O caso ganhou rapidamente repercussão nas redes sociais, principalmente no Facebook. Em razão disso, a infectologista afirmou ter se arrependido e reconheceu a atitude equivocada. Ao G1, Tereza Dantas confessou que queria pedir desculpas a José Alves.

Denúncia ao Conselho Regional de Medicina (CRM)

A Secretaria de Saúde Pública (Sesap) informou que acionou o setor jurídico do sindicado e já está preparando uma denúncia ao Conselho Regional de Medicina (CRM). Segundo ainda informações do G1, o órgão também estaria estudando a possibilidade de entrar com ações criminal e civil contra a infectologista, em nome de José Alves.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui