Durante o carnaval, mais de 50 mil pessoas prestigiam o Gravatá Jazz Festival 2019

0
890

A programação reuniu ritmos como jazz tradicional, jazz fusion, blues, música brasileira, bossa nova, rock and roll, entre outros estilos

Foto: SECOM

Mais Agreste, com SECOM

A quarta edição do principal evento alternativo ao carnaval do Nordeste encerrou, na última terça (5), a quarta edição batendo recorde de público. O Gravatá Jazz Festival 2019 (GJF) recebeu mais de 50 mil pessoas de várias partes do Brasil. A programação reuniu ritmos como jazz tradicional, jazz fusion, blues, música brasileira, bossa nova, rock and roll, entre outros estilos.

“O evento superou todas as expectativas, do primeiro ao último dia. O que movimenta cultura, turismo e economia da cidade”, comemorou o prefeito Joaquim Neto.

De acordo com o baixista Jackson Rocha Jr, que, ao lado do curador do baterista e curador Govanni Papaleo, organizam oficialmente o festival,
a programação eclética da edição é o grande diferencial. O músico explica que a programação contou com ícones do jazz mundial, a exemplo de Flora Purim e Airto Moreira, com ídolos do público mais jovem, como Andreas Kisser, integrante da banda de rock Sepultura.

“Essa troca entre diferentes gerações musicais, a mistura de estilos, tudo isso contribuiu para tornar o evento mais atrativo para um número maior de pessoas, o que só engrandece o festival. Nosso grande desafio é continuar superando as expectativas nas próximas edições, surpreendendo o público e trazendo para a programação grandes nomes, do Brasil e do exterior”, afirmou Jackson Rocha, destacando ainda a pontualidade na execução da grade de shows e a segurança presente em todo o evento.

Já para Giovanni Papaleo, a quarta já pode ser considerada a melhor edição da história GJF.

Homenagem a Flora Purim e Airto Moreira

Outro destaque do GJF foi a homenagem que o prefeito de Gravatá, Joaquim Neto, e a primeira-dama da cidade, Fátima Félix, fizeram ao casal de músicos Flora Purim e Airto Moreira. Na ocasião, uma banda de forró subiu ao palco para tocar caxixi, um instrumento idiofone do tipo chocalho, de origem africana. A Uptown Blues Band esteve presente na homenagem.

Pedido de casamento durante o evento

Na noite do segundo dia do GJZ, o gaitista da banda Uptown Band Blues, o músico João Vilela, que veio de Maceió para tocar e prestigiar o evento,
surpreendeu a namorada ao fazer um pedido de casamento (aceito) no palco do festival.

Economia e restaurantes parceiros

Com 50 mil pessoas circulando por Gravatá durante quatro dias, a economia da cidade sentiu os reflexos positivos da movimentação. A rede hoteleira, por exemplo, alcançou 97% da capacidade máxima de lotação. Já os restaurantes também aumentaram o faturamento, com destaque para o Barito Fondue e o La Fondue Unique, casas parceiras do festival. Os respectivos restaurantes promoveram, diariamente, antes e após os shows oficiais na Arena do Jazz, Jam Sessions com os artistas participantes do GJF. Os locais receberam artistas locais, nacionais e internacionais, que realizaram canjas musicais baseadas no improviso e na troca de experiências.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui