‘Tem empresas que serão privatizadas que vocês nem suspeitam’, afirma Paulo Guedes

0
212

O ministro da Economia afirmou que o presidente Jair Bolsonaro concordou com a iniciativa

Foto: Reprodução / Globo News

UOL

O ministro Paulo Guedes insinuou, na noite desta quarta (18), que o programa de privatizações da gestão de Jair Bolsonaro incluirá estatais que ninguém imaginou que o governo ousaria vender. “Tem empresas que vão ser privatizadas que vocês nem suspeitam ainda”, disse Guedes, em entrevista à Globo News. “E o presidente já concordou.”

Noutro ponto da conversa, quando se discutia a crise provocada pela interferência de Bolsonaro na fixação do preço do óleo diesel, perguntou-se ao ministro se o melhor caminho não seria privatizar a Petrobras. E Paulo Guedes. “Olha, você acabou de dizer um negócio que o presidente levantou a sobrancelha: ‘Ué, se o preço do petróleo sobe no mundo inteiro e não tem nenhum caminhoneiro parando no Trump, não tem menhum caminhoneiro parando lá na Merkel, não tem nenhum caminhoneiro na porta do Macron, será que tem um problema aqui?”

“A minha interpretação é que está ficando muito claro para o brasileiro comum o seguinte: tem cinco bancos, tem seis empreiteiras, tem uma produtora de petróleo, tem três distribuidoras de gás, e tem 200 milhões de patos. Acho que está ficando claro”, prosseguiu o ministro.

Paulo Guedes associou algumas logomarcas estatais aos mais badalados escândalos de corrupção: “Aconteceu a corrupção, onde foi? Ah, o mensalão onde foi? Nos Correios. O petrolão, onde foi? Na Petrobras. E o problema do MDB, do Cunha? Foi na Caixa Econômica.”

Enxergou problemas mesmo nas crises que não envolveram roubalheira. “Agora, está dando problema de caminhoneiro. Quem causou? O BNDES, que deu financiamento para botar 300 mil caminhões [nas estradas], enquanto jogavam o país na recessão [sob Dilma Rousseff]. Agora subiu o preço do diesel… Isso e aquilo. Você começa a inferir algumas coisas.”

Questionado sobre a disposição de Bolsonaro de levar a Petrobras ao martelo, Paulo Guedes declarou: “Acho que isso seria um salto muito grande. Mas tem uma estatal, partricularmente, que outro dia nós estávamos conversando e ele falou: ‘Olha, PG, você está certo. Vamos adiante’.”

Pressionado a dizer qual seria a estatal cuja privatização deixaria a plateia surpresa, o ministro não quis informar. Os entrevistadores mencionaram a BR Distribuidora, a Eletrobras, a Caixa Econômica… Mas Paulo Guedes se manteve impassível.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui