Trump diz que vai retomar tarifas sobre aço e alumínio do Brasil

0
127

O republicano disse que a medida vai ao encontro da desvalorização das moedas dos dois países sul-americanos em relação ao dólar

Bolsonaro e Trump durante encontro em Washington, em março. (Manuel Balce Ceneta/AP)

Veja

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou, na manhã desta segunda (2), por meio do Twitter, que vai retomar as tarifas sobre aço e alumínio vindos de Brasil e Argentina. O republicano afirmou que a medida será tomada por causa da desvalorização das moedas dos dois países sul-americanos em relação ao dólar.

“Brasil e Argentina estão promovendo uma desvalorização massiva de suas moedas, o que é ruim para os nossos fazendeiros. Portanto, tendo efeito imediato, eu vou restaurar as tarifas sobre aço e alumínio que são importados aos Estados Unidos desses países”, escreveu Trump na rede social.

O real desvalorizado favorece as exportações, já que fica “mais barato” para países com uma moeda forte – como os Estados Unidos – comprar produtos brasileiros. Como VEJA mostrou em sua última edição, a desvalorização é parte da estratégia do ministro da Economia de Jair Bolsonaro, Paulo Guedes, para estimular a volta dos investimentos internacionais e o crescimento do PIB.

O presidente americano ainda cobrou que o Federal Reserve, o banco central do país, tome medidas semelhantes para que, nas palavras dele, “países não tirem vantagem do dólar forte para desvalorizar ainda mais suas moedas”. “Isso torna muito difícil para os nossos produtores e fazendeiros exportar as suas mercadorias de forma justa.”

Trump não deu mais detalhes da medida. Em março de 2018, o republicano anunciou sobretaxas de 25% sobre aço e 10% sobre alumínio de diversos países – incluindo o Brasil – para proteger a indústria americana do que ele considerava “comércio injusto” com outras nações. Em agosto do mesmo ano, o Brasil foi beneficiado por uma decisão que flexibilizou a tarifa, liberando da taxa as empresas que comprovassem falta de matéria-prima no mercado interno.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui