Gravatá Jazz Festival: o evento que ganhou espaço e notoriedade no tradicional carnaval pernambucano

1
1156

Foto: SECOM / Gravatá

Igor da Nóbrega

Entre os dias 22 e 25 de fevereiro, o principal evento alternativo ao carnaval de Pernambuco chegará à 5ª edição no município de Gravatá, Agreste do estado, com uma visibilidade ainda maior no cenário pernambucano e nordestino. A presença marcante do público no Gravatá Jazz Festival se deve ao trabalho árduo e ao conhecimento apresentados pelo produtor e curador do evento, Giovanni Papaleo, que, ao lado do sócio Jackson Rocha, o diretor executivo, selecionam ‘a dedo’ músicos de renome que farão parte da seleta programação artística.

De 2016 para cá, já se apresentaram artistas brasileiros e do blues e jazz mundial, a exemplo de Nuno Mindelis, Derico Sciotti, Annika Chamberis, Andreas Kisser (Sepultura), Tico Santa Cruz, Jefferson Gonçalves, Taryn Szpilman e Airto Moreira, só para mencionar alguns nomes.

Através de todo o sucesso e reconhecimento, o Mais Agreste conversou com os responsáveis pela grandeza e execução do Gravatá Jazz Festival. Confira, abaixo, a entrevista na íntegra.

Atualmente, Jackson Rocha (esquerda) é baixista da banda recifense Vintage Pepper. (Foto: Divulgação)
  • Quais as expectativas pra realização do Gravatá Jazz Festival 2020?

Jackson Rocha Estamos com ótimas expectativas, pois a cada ano que passa vemos um crescimento de público e a realização de apresentações de excelentes artistas.

Já Papaleo é o baterista da também recifense banda Uptown Band Blues, que, em 2018, conquistou o primeiro lugar no Prêmio Profissionais da Música (PPM) como a melhor do gênero daquele ano. (Foto: Divulgação)

  • Em relação ao ano passado, o que o público pode esperar de novidades este ano?

Papaleo – O evento vai ter a mesma qualidade de atrações, de estrutura. Nós temos uma estrutura muito especial e diferenciada frente a outros eventos que acontecem no estado. Nós temos um ambiente coberto, com cadeiras, mesas, praça de alimentação, total segurança e qualidade para a família, que se somam ao maravilhoso clima da cidade. Eu sempre digo que o Gravatá Jazz Festival a principal alternativa para o carnaval tradicional de Pernambuco, um evento já premiado três vezes pelo governo do estado. Aqueles que não querem brincar o carnaval, podem brincar o jazz, ou seja, vão brincar outro tipo de música de qualidade.

  • Como surgiu a ideia de criar um evento alternativo ao tradicional carnaval de Pernambuco?

Papaleo – Como eu não gosto de brincar o carnaval, eu resolvi juntar o útil ao agradável. Eu queria que a gente tivesse um evento, no meu estado, com um tipo de música de qualidade e diferenciada, que fosse direcionado à família, enfim, um evento saudável, seguro, com conforto e que presenteasse o público com uma música que eu amo, que é o jazz e o blues. Graças a Deus, vem dando super certo em todos esses anos.

  • Diante do crescente avanço de gêneros como o sertanejo universitário, o forró estilizado e o funk, qual o principal desafio em manter a tradição do jazz e blues em Pernambuco e no Brasil?

Jackson Rocha – Independente de outros estilos musicais, o Jazz e o Blues sempre tem o seu público cativo, além de conquistar mais adeptos a cada ano. Outro fato importante é que o festival é considerado a melhor alternativa no Estado ao carnaval tradicional, isso aponta que boa parte da população, que não gosta de carnaval, é atraída para o festival.

  • Para este ano, o público pode esperar alguma atração surpresa?

Papaleo – A gente tá trabalhando para ter grandes atrações nacionais, internacionais e também as locais, inclusive artistas de Gravatá para fazerem um mix bem interessante. Com relação a possíveis atrações que podem vir este ano ao festival, temos a cantora J J Thames, que é a Mississipi Blues Diva. Ela é totalmente inédita aqui no Nordeste. A gente também tem atrações de jazz tipo o americano Mike Lander, que também está cotado para vir. Então são várias atrações que estamos trabalhando, com o maior carinho, para fazer uma tarefa super difícil: realizar um evento ainda melhor que o ano passado.

1 comentário

  1. O Gravatá Jazz é exatamente isso que falaram e um pouco mais. Uma excelente alternativa ao carnaval de Pernambuco (que é top, mas nem todo mundo curte, né?). Música de qualidade num ambiente muito agradável para curtir em família. Conta com segurança e conforto (área coberta, protegendo o público de eventuais chuvas; mesas e cadeiras, garantindo assistir aos shows de forma confortável e área reservada para pessoas especiais e idosas, um exemplo de respeito a quem tanto merece). Além disso, é uma oportunidade de vermos grandiosos artistas ao vivo quando muitos (por exemplo, eu) não teriam acesso de outra forma. O que mais a gente poderia querer? Que fosse de graça?! Pois é!!! Evento totalmente gratuito. Eu não sou fã do jazz e blues, mas aos poucos a gente vai conhecendo e aprendendo a gostar. Então, há 5 anos, pro meu carnaval, o GJF é o meu lugar! Obrigada, Papaleo e Rocha, por possibilitarem isso pra gente!

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui